Busca rápida
barra
Busca detalhada

Home > Artigos > O real papel do promotor de vendas


O real papel do promotor de vendas

Por Vladimir Lima, presidente da Compart

O senso comum diz que o promotor de vendas é apenas um “organizador”, a pessoa que vai até o ponto de venda (PDV) para garantir que o produto será exposto da forma adequada e para coletar dados das vendas. Isso até poderia ser verdade no passado, num mundo analógico, onde a integração de processos era mais lenta. Hoje, no entanto, com o incremento tecnológico que temos vivido, essa realidade está diferente e mais dinâmica. Muito mais do que repor gôndolas, esse profissional levanta dados, analisa a concorrência, constrói relacionamento com o cliente, opera sistemas de tecnologia e constrói um bom relacionamento com o cliente.

O promotor de vendas ainda é a pessoa que coleta dados sobre o produto no PDV, mas, hoje, isso acontece de forma mais ágil, “real time”. Coletando esses dados a partir de um smartphone, ele passa as informações para a equipe de coordenadores e clientes que podem, com ferramentas de Business Intelligence, realizar relatórios e cruzar informações.

Contudo, tais inovações tecnológicas não apenas aumentam a agilidade do processo de report, mas também mudam continuamente as necessidades dos clientes. Com redes sociais, um case de sucesso (ou insucesso) é rapidamente espalhado pelas redes, fazendo com que a empresa fique conhecida de forma imediata por aquela situação. Ainda, os clientes do século XXI prezam maior relacionamento com a marca, que vai além de um bom atendimento.

Pesquisas comprovam que a primeira impressão que um cliente tem de determinada marca é fundamental para determinar a decisão de compra do mesmo e quem garante que ela será boa é o promotor de vendas, tornando-o de suma importância para o sucesso de determinada marca. Cada dia mais, é necessário “multitasking” do promotor de vendas, pois ele tem que lidar com as múltiplas tarefas que envolvem apresentar o produto a novos clientes e manter a fidelidade dos antigos.

Ele é o profissional que, estando no ponto de venda, vai identificar a necessidade de alterar, ou não, a estratégia de divulgação no local. Ele deve garantir que não existam problemas com estoque virtual, que é quando o estoque do produto existe em sistema, mas ele não se encontra nas gôndolas, por razões como roubo, perda ou descarte. Ainda, ele é a pessoa que vai assegurar que o cliente tenha relação próxima ao produto, precisando encontrar maneiras atrativas de oferecer o produto ao cliente.

Fonte: DF Comunicação



Outros artigos:

Mercado de bebidas se prepara para as vendas de final de ano

Capacitação, tecnologia e inovação podem vencer o etarismo na área de vendas

Sucesso em vendas: escreva certo por linhas certas!




Compartilhe:




Comente